Mundo Sustentável

Receba o nosso BOLETIM

Abrindo espaço na mídia para um planeta em transformação

Micro Blog
30 mar 2016
POR: Mundo Sustentável
CATEGORIA: Destaque, Microblog
TAGS:
Home » » O que explicaria o fato do maior lixão da América Latina continuar crescendo em Brasília?

O que explicaria o fato do maior lixão da América Latina continuar crescendo em Brasília?

O lixão da Estrutural está situada ao lado de um Parque Nacional no coração do Brasil

 

O maior lixão da América Latina fica em Brasília. Esta não é uma metáfora da crise política. O lixão da Estrutural resiste ao tempo e às promessas de sucessivas administrações do Distrito (Detrito?) Federal que se comprometem a resolver o problema sem que ele deixe de existir.

Da última vez que estive por lá gravei uma reportagem exatamente na data limite estabelecida pela Política Nacional de Resíduos Sólidos para a erradicação dos lixões em todo o Brasil, em agosto de 2014. Do alto de uma montanha de lixo, mostrei ao fundo a Esplanada dos Ministérios onde a Lei foi elaborada, aprovada e sancionada. Só faltava cumprir. E Brasília, sede do poder nacional, não cumpriu até hoje.

Agora o assunto virou notícia na BBC internacional.

A cidade projetada por Oscar Niemeyer e Lúcio Costa, marco da arquitetura e do urbanismo, Patrimônio Cultural da Humanidade, acompanha dia a dia o crescimento em progressão geométrica de um dos maiores lixões do mundo.

Que fica do lado de um Parque Nacional.

No coração do Brasil.

 

André Trigueiro

 

 

 

 

 

3 Comentários

3 Comentários

  • Kedma R. Oliveira

    Uma das explicações que eu enxergo é a TOTAL FALTA DE VONTADE do GDF em resolver a questão. Como moradora dessa cidade há mais de 30 anos, fico triste, envergonhada de ver isto acontecer.

  • patriota

    Simples a razão,
    Brasília é a capital do país aonde se concentra os políticos do pais todo consequentemente o lixão cresce!!!

  • Isabel Lemgruber

    Ao ler a matéria e ver as fotos, o primeiro impacto é emocional, sem dúvida: a tristeza e desesperança que nos invadem. Em seguida, as perguntas: o que será dessas pessoas? O que será do Planeta? E, as crianças, como poderão construir um futuro melhor?? Mas, é preciso sair deste estado de espírito, e encontrar formas legítimas de cobrar melhorias, dos responsáveis.

Current month ye@r day *