Mundo Sustentável

Receba o nosso BOLETIM

Abrindo espaço na mídia para um planeta em transformação

Micro Blog
8 ago 2016
POR: Mundo Sustentável
CATEGORIA: Destaque, G1, Microblog
TAGS:
Home » » Não basta fazer uma festa verde: é preciso dar o exemplo

Não basta fazer uma festa verde: é preciso dar o exemplo

Acorda Rio! Desperta Brasil!

 

Fonte: G1 – Blog Mundo Sustentável

 

Quis o destino que a cerimônia de abertura mais ecológica da História dos Jogos acontecesse na cidade que desprezou o legado ambiental mais importante (o avanço do saneamento básico na Baía de Guanabara) e num país ameaçado por vários projetos de Lei que tentam inutilizar a ferramenta do licenciamento ambiental.
Fogos de artifício explodem durante abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016

Contradições à parte, foi a cerimônia mais bonita que já vi sobre a riqueza da cultura brasileira. Mostrou a nossa cara, fugindo dos clichês que remetem às “caricaturas”. Mas foi na parte ambiental que o evento esbanjou coragem e inovação.

No momento esteticamente mais exuberante do espetáculo, mostramos os povos originais do Brasil ocupando o Maracanã (palavra que vem de “Maraca”, o som de um pássaro em tupi-guarani), embora Brasil afora prossigam os massacres contra os povos indígenas sem que haja qualquer resposta à altura dos governos.

Destacou-se a força de um povo miscigenado – nossa verdadeira identidade nacional – embora a representatividade política esteja fortemente (e tragicamente) concentrada num segmento muito específico: homens, brancos e ricos.

Mais de três bilhões de telespectadores receberam uma aula sobre a maior tragédia ambiental do nosso tempo, o aquecimento global. E viram os atletas de todos os países serem convidados a depositar sementes em pequenos tubetes que serão a gênese de uma nova floresta no bairro de Deodoro, na zona oeste. A semeadura ocorre num momento em que boa parte do país arde em chamas com a proliferarão das queimadas, as taxas de desmatamento voltem a crescer de maneira preocupante, e muitos projetos absurdos – inclusive o do atual Ministro da Agricultura, Blairo Maggi – tentam implodir a exigência de licenciamento ambiental.

O orçamento da festa correspondeu a apenas 10% do que foi gasto na cerimônia de abertura dos Jogos de Londres. Ponto para os responsáveis pela concepção do evento, entre os quais, o cineasta Fernando Meirelles, que recentemente, ao ser indagado por um jornalista como se definiria, respondeu sem titubear: “quando não sou ecochato, sou biodesagradável”.

Abençoada seja toda ecochatice que denuncia as gigantescas contradições do único país do mundo com nome de árvore.

 

André Trigueiro

 

 

 

Comentar

Comentários

Current month ye@r day *